Páginas

22 de set de 2011

Viola, Causos e Crendices



Aquário Cultura terá ‘Violas, Causos e Crendices’
neste sábado (24)

O Espaço Aquário Cultura de Votorantim será mais uma vez o abrigo para o projeto ‘Violas, Causos e Crendices’, promovido pela prefeitura municipal através da secretaria de cultura em parceria com o Instituto Conta Brasil neste sábado, dia 24, às 20 horas, com entrada gratuita. A atividade tem a coordenação e produção do contador de histórias Zé Bocca, que juntamente com o musico Marcos Boi serão os mestres de cerimônias da noite.

O evento que retorna depois de um ano ausente, traz um ambiente propicio para escutar histórias, causos e modas.  O publico é conduzido por uma viagem ao mundo da literatura oral.

Para esta edição foram convidados o grupo “As Fiandeiras da Palavra”, do Vale do Paraíba/SP; “Jiddu Saldanha”, de Cabo Frio/RJ e “Maurício Toco”, de Sorocaba/SP. O Espaço Aquário Cultura fica na avenida Moacir Oséias Guitte, 41 – ao lado da praça de eventos Lecy de Campos. Mais informações pelo telefone 3243-1191.
 
As Fiandeiras da Palavra
O grupo iniciou suas atividades em 2010 a partir de uma parceria firmada entre as contadoras de histórias Cíntia Moreira e Flávia D’ávila, que juntas montaram o espetáculo “Histórias que o Vento me Contou...”, sendo apresentado em São José dos Campos, Jacareí e no Simpósio Internacional de Contadores de Histórias no SESC de Copacabana, Rio de Janeiro.
Em 2011, com o intuito de dar continuidade à parceria, nasceu o espetáculo “A morte, a rosa, a cantiga – contos de amor sobre a força feminina”. Neste trabalho, a musicista Cristiane Celly passou a integrar o grupo, assumindo a direção musical dos espetáculos.
Assim, enredadas pelo encantamento das histórias, fiando e desfiando palavras e poesia, entrelaçando músicas e tecendo os trabalhos, surge o Fiandeiras da Palavra.


Jiddu Saldanha
Natural de Curitiba/PR, Jiddu é ator, formado pela PUC/PR, contador de histórias, mímico, videomaker, fotografo e poeta.
Hoje está radicado na cidade de Cabo Frio no Rio de Janeiro. Participou nos últimos anos de vários eventos ligados a narração oral pelo Brasil.



Maurício Toco, (baixista, violonista, estudioso de viola caipira) estuda música desde 1984. Participou de várias bandas em sua juventude nos anos 80 na cidade de Mairinque/SP, sendo algumas delas a banda Trégua, Enigma e a Delirium Tremens. Sediado em Sorocaba desde 1997, participou da banda Villa Blues de 1996 a 1999, sendo baixista e compositor de alguns dos principais canções do grupo.
Como compositor teve músicas gravadas por Márcia Mah em seu disco “Apanhado”, e pegou a segunda colocação no festival Marchando Votorantim 2006 com a música Votoranear, feita em parceria com Cassiano de Moraes. Com aproximadamente 30 composições pretende hoje gravar um cd com participações de diversos artistas sorocabanos.

Nenhum comentário: