Páginas

22 de set de 2011

Viola, Causos e Crendices



Aquário Cultura terá ‘Violas, Causos e Crendices’
neste sábado (24)

O Espaço Aquário Cultura de Votorantim será mais uma vez o abrigo para o projeto ‘Violas, Causos e Crendices’, promovido pela prefeitura municipal através da secretaria de cultura em parceria com o Instituto Conta Brasil neste sábado, dia 24, às 20 horas, com entrada gratuita. A atividade tem a coordenação e produção do contador de histórias Zé Bocca, que juntamente com o musico Marcos Boi serão os mestres de cerimônias da noite.

O evento que retorna depois de um ano ausente, traz um ambiente propicio para escutar histórias, causos e modas.  O publico é conduzido por uma viagem ao mundo da literatura oral.

Para esta edição foram convidados o grupo “As Fiandeiras da Palavra”, do Vale do Paraíba/SP; “Jiddu Saldanha”, de Cabo Frio/RJ e “Maurício Toco”, de Sorocaba/SP. O Espaço Aquário Cultura fica na avenida Moacir Oséias Guitte, 41 – ao lado da praça de eventos Lecy de Campos. Mais informações pelo telefone 3243-1191.
 
As Fiandeiras da Palavra
O grupo iniciou suas atividades em 2010 a partir de uma parceria firmada entre as contadoras de histórias Cíntia Moreira e Flávia D’ávila, que juntas montaram o espetáculo “Histórias que o Vento me Contou...”, sendo apresentado em São José dos Campos, Jacareí e no Simpósio Internacional de Contadores de Histórias no SESC de Copacabana, Rio de Janeiro.
Em 2011, com o intuito de dar continuidade à parceria, nasceu o espetáculo “A morte, a rosa, a cantiga – contos de amor sobre a força feminina”. Neste trabalho, a musicista Cristiane Celly passou a integrar o grupo, assumindo a direção musical dos espetáculos.
Assim, enredadas pelo encantamento das histórias, fiando e desfiando palavras e poesia, entrelaçando músicas e tecendo os trabalhos, surge o Fiandeiras da Palavra.


Jiddu Saldanha
Natural de Curitiba/PR, Jiddu é ator, formado pela PUC/PR, contador de histórias, mímico, videomaker, fotografo e poeta.
Hoje está radicado na cidade de Cabo Frio no Rio de Janeiro. Participou nos últimos anos de vários eventos ligados a narração oral pelo Brasil.



Maurício Toco, (baixista, violonista, estudioso de viola caipira) estuda música desde 1984. Participou de várias bandas em sua juventude nos anos 80 na cidade de Mairinque/SP, sendo algumas delas a banda Trégua, Enigma e a Delirium Tremens. Sediado em Sorocaba desde 1997, participou da banda Villa Blues de 1996 a 1999, sendo baixista e compositor de alguns dos principais canções do grupo.
Como compositor teve músicas gravadas por Márcia Mah em seu disco “Apanhado”, e pegou a segunda colocação no festival Marchando Votorantim 2006 com a música Votoranear, feita em parceria com Cassiano de Moraes. Com aproximadamente 30 composições pretende hoje gravar um cd com participações de diversos artistas sorocabanos.

Circuito Gerador com Daniel Higgs

Circuito Gerador - feira do Jardim Archila



Choro 
Pisando em Brasa 
e a banda INI 
em versão acústica

Workshop com Carmen Gomide


 
Ontem a coreógrafa Carmen Gomide ministrou o workshop “Um processo criativo na interface dança, performance. O corpo suas vivências, memórias e formações”, no Espaço Aquário Cultura, onde passou para os participantes um pouco da sua experiência profissional, além de movimentos corporais que auxiliam o dia-a-dia da dança.

20 de set de 2011

Espetáculo de Dança e Workshop


  Espetáculo Latitude 35º com a coreógrafa Carmen Gomide será hoje (quarta) no auditório municipal


Além da apresentação, a coreógrafa também ministrará um workshop sobre dança contemporânea e um debate com o público após o espetáculo

O Espetáculo de dança Latitude 35º inspirado no oráculo milenar, o “I Ching”, que fornece uma importante chave para compreender e explicar o mundo e os fatos cotidianos será apresentado na próxima quarta-feira (21), às 20 horas, no Auditório Municipal Francisco Beranger, com entrada gratuita. O espetáculo é realizado através do Programa de Ação Cultural 2010 (Proac) da Secretaria Estadual de Cultura e conta com o apoio da Secretaria de Cultura de Votorantim. Após a apresentação será realizado um debate com o público, com o objetivo de explicitar os caminhos percorridos durante todo o desenvolvimento do processo de concepção do espetáculo, além de responder às curiosidades dos participantes.

A idéia principal é entrar no universo da performance art, onde o performer é a ponte de contato, o xamã contemporâneo que permite traduzir e combinar elementos que permitirá ao coreógrafo e ao público realizar novas interpretações da obra de forma que cada momento tenha seu caráter único. Os momentos únicos, diz Jung, “podem deixar marcas duradouras”.

O espetáculo tem criação, concepção e interpretação de Carmen Gomide, direção de Mariana Muniz, o com música original composta por Lívio Tragtenberg. Com figurino assinado por Tânia Marcondes, Cenografia de Júlio Dojcsar CasadaLapa, o projeto de Luz é de Silviane Ticher, e vídeo arte de VJ Scan

Workshop

A coreógrafa Carmen Gomide irá ministrar o workshop “Um processo criativo na interface dança, performance. O corpo suas vivências, memórias e formações”, às 14h30 na Sala de Dança do Espaço Aquário Cultura.

Com duração de 2 horas, este workshop tem com finalidade investigar o processo de criação a partir das várias influências que estamos sujeitos diariamente, dando voz às experiências que o corpo traz e nem sempre expressa, utilizando para isso nossas memórias, por meio de movimentação corporal, jogos e técnicas de dança contemporânea.

Carmen Gomide

Carmen Gomide é bailarina, coreógrafa e pesquisadora em dança contemporânea e performance art. Bacharel em Comunicação e Artes do Corpo pela PUC de São Paulo. Estudou como bolsista no Joffrey ballet em Nova Iorque. Atuou profissionalmente como bailarina do Balé da Cidade de São Paulo de 1988 a 1990; Balé Opera Paulista de 1991 a 1993; Parsifal, obra do diretor Jorge Takla e Aulis, com direção de Celso Frateschi e Elias Andreato.

Trabalha como produtora, coreógrafa e pesquisadora desde 1992, sendo autora das obras: Terra Estranha, La Danaide, Corpo Jubiloso: Carne Selvagem, Adiamento, entre outras. Como coreógrafa participou do projeto O Feminino na dança, no Centro Cultural São Paulo, como convidada das Bienais do Sesc Santos de 2000 e 2002, de projetos de fomento à dança em parceria com a Cultura Inglesa, Instituto Goethe, Cooperativa Paulista dos Bailarinos Coreógrafos e Festival de Inverno de Ouro Preto .

Em 2001, ganhou o Prêmio Encena Brasil, da Funarte, pelo projeto 8 Dogmas Novas Dobras, juntamente com o núcleo Tandanz, com a coreografia Adiamento,sob a direção de Renato Cohen. Em 2003, concluiu a Graduação em Comunicação e Artes do Corpo com o projeto teórico e de criação cênica, Para Faca, Relógio e Bala, sobre o poema “Uma Faca só Lâmina”, de João Cabral de Melo Neto. Em 2006, fundou a Cooperativa Paulista de Dança (www.coopdanca.com.br), juntamente com 20 profissionais da dança.

Estreou (Re)volta em setembro de 2006, trabalho de pesquisa em dança e performance, sob a direção da atriz e coreógrafa Mariana Muniz, na Galeria Olido em SP e recebeu os prêmios Klauss Vianna e Caravana Funarte Petrobrás de Circulação Nacional, ambos pela Funarte. Além disto, foi agraciada com o prêmio para uma nova criação pelo 11o Festival Cultura Inglesa, para a produção do espetáculo “Corpo Erótico”.

Em 2009, estreou “Desvio para o vermelho”, projeto de sua autoria que foi contemplado com 5º Fomento a dança para a cidade de São Paulo. No mesmo ano, Gomide foi convidada para participar da mesa “A organização e estrutura do mercado para as artes do espetáculo: o papel do agente e do manager”, da International Society for the Performing Arts (ISPA).

Serviço
Espetáculo: Latitude 35º
Data: 21/09 (quarta-feira)
Horário: 20 horas
Local: Auditório Municipal Francisco Beranger
Endereço: Avenida Vereador Newton Vieira Soares, s/nº - centro
Classificação: recomendado para maiores de 14 anos
Entrada Gratuita

Worshop: “Um processo criativo na interface dança, performance. O corpo suas vivências, memórias e formações”
Data: 21/09 (quarta-feira)
Horário: 14h30
Local: Sala de Dança – Espaço Aquário Cultura
Endereço: Av. Moacir Oséias Guitte, 41 (ao lado da praça de eventos Lecy de Campos)
Público Alvo: iniciante em dança
Inscrições: limitadas - no dia pelo telefone 3243-1191 ou no local com meia hora de antecedência.
Gratuito

19 de set de 2011

Pivetta abre Conferência Municipal de Políticas Públicas de Juventude

O prefeito de Votorantim Carlos Augusto Pivetta participou na tarde deste sábado da abertura da 1ª Conferência Municipal de Políticas Públicas de Juventude, realizada no Salão Social do Sesi. O evento conta com a participação da comissão organizadora, das secretarias de Cidadania e Geração de Renda (Seci) e Cultura. Mais de 100 jovens compareceram ao local, motivados para debaterem as políticas públicas de juventude.

A solenidade de abertura contou ainda com as presenças do vice-prefeito Marcos Mâncio; dos vereadores Heber de Almeida Martins, Solange de Oliveira Pedroso e Marilene Newman, além dos secretários de Cultura, Clayton Leme; Cidadania e Geração de Renda, João Soares de Queiroz e Comunicação, Cesar Silva.

Pivetta destacou a importância deste debate para os jovens da cidade, tendo em vista que eles terão oportunidade de se expressar e através disso criar as políticas públicas da juventude, além de cada um defender sua bandeira. “É uma oportunidade para que os jovens tenham vez e voz na sociedade”, disse. O prefeito lembrou ainda aos participantes que a participação nessas ações são de grande valia, tendo vista que entre os temas a serem debatidos estão o desenvolvimento e sustentabilidade.

A Conferência Municipal de Políticas Públicas de Juventude tratou dos seguintes eixos: Direito ao Desenvolvimento Integral: educação, trabalho, cultura e comunicação; Direito ao Território: cidade, campo, transporte, meio ambiente e comunidades tradicionais; Direito à experimentação e qualidade de vida: saúde, esporte, lazer e tempo livre; Direito à diversidade e à vida segura: segurança, valorização e respeito à diversidade e direitos humanos e Direito à Participação.De acordo com o texto base o fortalecimento institucional da política pública de juventude também compreende outras iniciativas importantes do período, que partiram da Comissão Especial de Políticas Públicas de Juventude e compõem o que está sendo chamado de “marco legal” das políticas de juventude.Uma compreensão que também se aprofunda é que a situação da juventude não está descolada do conjunto da sociedade e as políticas de juventude não se concretizam isoladamente das questões gerais que o país enfrenta. Os jovens não pleiteiam somente a resolução de seus problemas, mas a possibilidade de debater a interferir nos debates mais amplos colocados na conjuntura.

Prefeitura de Votorantim - Secretaria de Comunicação17/09/2011 – (015) 3353-8572
 
'A Cultura Pertence as Pessoas'